Usina de ondas está a um mês da operação no porto do Pecém

  23/12/2010-08h19 interagesystems.com.br
 

Antes programada para este fim de ano, a usina de ondas do Pecém, a primeira do tipo no Brasil, irá iniciar as suas operações em janeiro de 2011. Ainda esta semana, os equipamentos que faltam para montar a estrutura do empreendimento piloto devem chegar ao porto.

Estão para chegar a câmara hiperbárica e o flutuador, que completarão a estrutura. De acordo com o gerente do projeto, Eliab Ricarte, a usina irá funcionar por 12 a 18 meses para aprimorar sua tecnologia. "Quando tivermos um conhecimento maior, faremos um equipamento definitivo, a ser instalado no novo quebra-mar a ser construído aqui no Pecém", diz.

Segundo ele, o Ceará está com este protótipo, juntamente com outros países da Europa, na corrida para o desenvolvimento de uma tecnologia viável para a utilização comercial das usinas de ondas. O projeto cearense terá capacidade de produzir 100 kW, o equivalente ao consumo de 60 casas do padrão médio de consumo de energia elétrica no Estado. "Não se decidiu ainda qual máquina será acertada no mundo. Pode ser a nossa, pode ser a de Portugal, ainda não se sabe", diz.

A usina está sendo desenvolvida em parceria da empresa Tractebel, da Cearáportos e das universidades federais do Ceará e do Rio de Janeiro. O investimento nesse projeto é de R$ 12 milhões, sendo R$ 1 milhão de contrapartida do Governo do Estado (em parceria com a Universidade Federal do Ceará) e R$ 11 milhões da Aneel, oriundos do item Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologias da Tractebel. (SS)

Produção

100 kilowatts (kw) é a capacidade de produção da usina de ondas do Pecém.

ATUAL AMPLIAÇÃO

Tmut: primeiro berço em fevereiro

A atual etapa de expansão do Porto do Pecém, que é a construção do Terminal de Múltiplo Uso (Tmut), entregará a sua primeira fase em fevereiro do próximo ano, para estar pronta em março. Até o momento, 75% da obra estão concluídos.

De acordo com o presidente da Cearáportos, Erasmo Pitombeira, o novo terminal porá fim à espera dos navios para atracação no porto. Esta espera é um problema que já foi noticiado pelo jornal este ano.

Movimentação

O Tmut, que irá concentrar toda a movimentação de contêineres do Pecém, contará com dois berços para atracação de embarcações. O primeiro delas será entregue até o dia 20 de fevereiro. O segundo continuará o seu acabamento e estará pronto até o fim de março. Com o novo terminal, a capacidade estimada de movimentação de contêineres será ampliada dos atuais 150 mil TEUs/ano para 750 mil TEUs/ano.

Quebra-mar

A ampliação do quebra-mar em mil metros já está concluída, fazendo com que o porto já esteja livre das chamadas ondas swell, que atrapalham a manobra dos navios no porto.

De acordo com Pitombeira, já existem contratos fechados para utilizarem o terminal quando pronto. "Ele vai acabar com as filas de navios, que às vezes ocorrem. Teve navio que já esperou cinco dias para atracar. O normal é entre três e oito horas. Com o Tmut, a atracação será imediata, que é o ideal", garante Pitombeira.

(Fonte: Diário do Nordeste (CE)/SS)